27/11/2013

Marc Rubin - Arquiteto do Ano pelo Instituto Brasileiro do Concreto

O Arq. Marc Rubin - Arquiteto do Ano 2013, junta-se aos Arq. Ruy Ohtake, Paulo Mendes da Rocha e Indio da Costa, no seleto grupo de profissionais já homenageados pelo Instituto Brasileiro do Concreto com tal honraria - "Premio Oscar Niemeyer Soares Filho" .

17/11/2013

Museu Judaico ganha R$ 900 mil de alemães para restauração de Sinagoga

18/10/2013

Botti Rubin retoma seus projetos residenciais, agora para a Brookfield.

18/09/2013

Galeria da Arquitetura entrevista Alberto Botti

09/05/2013

Jornal DCI - Artigo: Os novos corredores de ônibus e a cidade por Alberto Botti

 

 

 

23/12/2012

Botti Rubin assinam projeto no Itaim Bibi

Estadão - 23 dezembro de 2012

11/10/2012

Prédio mais luxuoso da avenida Faria Lima começa a ser ocupado

 

Valor Econômico, Chiara Quintão

O empreendimento de grandes lajes corporativas de padrão triple A da avenida Faria Lima, na zona Sul de São Paulo, mais aguardado do ano começará a ser ocupado neste mês. O prédio de vidros pretos incorporado pelo grupo Victor Malzoni, no maior terreno da avenida, será vitrine de grandes corporações que vão instalar suas sedes no local - BTG, BVA, Google, Banco da China e Tecnisa -, além do próprio escritório do desenvolvedor do empreendimento. O projeto Pátio Victor Malzoni obteve o habite-se na sexta-feira.

O prédio tem a maior laje corporativa para locação das principais regiões de São Paulo. Em valores atualizados, o aluguel médio das áreas pertencentes ao grupo Victor Malzoni é de R$ 200 por m2, o equivalente ao topo dos valores cobrados da avenida mais cobiçada como endereço comercial nos cartões de visita, principalmente por parte de bancos de investimento. O projeto é dividido em três torres, duas com ocupação já definida desde 2011. Nessas duas torres, chamadas de B e C, o grupo Victor Malzoni possui 38 mil m2, e o BTG, 16 mil m2, nos cinco andares onde instalará sua sede.

O habite-se do empreendimento era esperado, inicialmente, para outubro do ano passado, o que poderia significar ocupação do prédio a partir do início de 2012. Conforme contou ao Valor o diretor-presidente do grupo Victor Malzoni, Paulo Malzoni Filho, o atraso de quase um ano custou uma receita de locação de R$ 60 milhões. Algumas solicitações de contrapartidas que não estavam previstas inicialmente foram feitas, e houve desencontros em algumas exigências de órgãos públicos.

Os investimentos no empreendimento somam R$ 1,1 bilhão, incluindo terreno, construção e aprovações. Esses aportes incluem os desembolsos por parte do grupo Victor Malzoni e da Brookfield Incorporações, que comprou o terreno em parceria com o grupo, mas vendeu sua participação no projeto, em 2010, e ficou responsável apenas pela construção.

Em valores atualizados, o aluguel médio das áreas pertencentes ao grupo Victor Malzoni é de R$ 200 por m²

O prédio terá inovações como funcionamento 24 horas, inclusive dos restaurantes que atenderão ao Google, ao BTG e ao BVA. Mais de 200 das 2,5 mil vagas de garagem terão tomada para carro elétrico. A maior parte das recepcionistas será bilíngue, e algumas, trilíngues, para atender à demanda do Banco da China. Na área externa, será instalado restaurante Fasano de 500 m2 e outro cuja marca ainda não foi definida. Um heliporto com capacidade para dois helicópteros está em processo de aprovação.

A Casa Bandeirista construída no terreno foi preservada e reconstituída, e será destinada ao funcionamento de um centro cultural.

Somando-se as torres B e C, são 3,8 mil m2 de laje e, se incluída a torre A, a área contínua chega a quase 5,5 mil m2. O escritório do grupo Malzoni será transferido do shopping West Plaza para a cobertura da torre B, com 2 mil m2.

Com o habite-se do prédio, ocupantes começam a se movimentar para adequar os espaços dos 19 andares (incluindo a cobertura) às suas necessidades específicas. A Tecnisa será a primeira a se mudar, e a instalação de pisos, divisórias e móveis nos quatro andares a serem ocupados está bastante avançada. Procurada pelo Valor, a Tecnisa informou que o processo de mudança para o novo endereço ocorrerá em fases e que está trabalhando para que a primeira etapa seja no fim deste mês.

BTG e BVA devem ser os próximos ocupantes, com entrada em outubro e, em seguida, o Google. O Banco da China e o escritório do grupo Victor Malzoni devem se instalar no local em 2013.

O Google vai ocupar a cobertura da torre central e dois andares das torres B e C. Para atender à necessidade da empresa de tecnologia, foram desenvolvidas inovações no prédio nos elevadores e entrada de ar-condicionado, que permitirão que aos seus colaboradores levarem cachorros e gatos para o trabalho. Conforme uma fonte, a sede do Google na América Latina terá características como parede de escalada. Nos andares do BTG, haverá um anfiteatro em que funcionará a área operacional.

Da torre A, de propriedade do fundo saudita Blue Stone, apenas 10% da área está locada. Conforme uma fonte, a postergação da locação se deve à decisão do fundo de, em busca de valorização, só tornar suas áreas no Pátio Victor Malzoni disponíveis para aluguel quando todos os andares do grupo Victor Malzoni estivessem locados, e a torre A teria sido apresentada ao mercado quando o processo de tomada de decisão na contratação de novas áreas estava mais lento.

De acordo com o advogado e procurador do Blue Stone, Sami Arap Sobrinho, porém, a decisão do fundo teria sido oferecer as áreas para aluguel quando as obras tivessem mais avançadas. A abertura do processo de locação começou duas semanas após o início da oferta para aluguel dos andares do principal proprietário do empreendimento. Foram feitas propostas, mas aquém do que o fundo pretendia receber, conforme Arap. Do que foi alugado até agora da torre A, a média foi de R$ 190 por m2. O perfil da empresa locatária não foi divulgado.

Na época da aquisição do terreno da Faria Lima pela Brookfield e pelo grupo Victor Malzoni, o fundo Blue Stone era o proprietário da área, que já pertenceu ao investidor Naji Nahas.

 

Fonte: http://www.ademi.org.br/article.php3?id_article=49936

30/08/2012

Site Galeria da Arquitetura entrevista Alberto Botti sobre projeto Pátio Victor Malzoni

Matéria da Folha de São Paulo sobre o novo gigante da Av. Faria Lima.

28/08/2012

Prêmio Master Imobiliário 2012 - Patio Victor Malzoni

 

SÃO PAULO - As empresas e empreendimentos vencedores do 18º Prêmio Master Imobiliário foram divulgados nesta terça-feira pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) e pela Federação Internacional das Profissões Imobiliárias (Fiabi/Brasil), organizadores da premiação que tem o apoio do Grupo Estado.

 

Entre os mais de 70 projetos inscritos no País foram escolhidos 16 que se destacaram dentro das categorias Empreendimentos (comercial e residencial) e Profissionais (marketing, comercialização, institucional, preservação do patrimônio e responsabilidade social).

 

O Grupo Brookfield foi o grande homenageado com o Prêmio Hors-Concours. Os organizadores destacaram a longa trajetória da empresa, que iniciou suas atividades no Brasil em 1899 com a São Paulo Tramway Light & Power, responsável por instalar mais de 100 quilômetros de trilhos para bondes da capital paulista. A São Paulo Tramway evoluiu por meio de fusões e aquisições, deu origem a divisões focadas no segmento imobiliário e assumiu a marca global Brookfield em 2009.

 

De acordo com os organizadores, os projetos premiados mostram que o mercado brasileiro tem acompanhado o avanço tecnológico registrado fora do País, com atenção para a sustentabilidade, condições para uma boa qualidade de vida de seus usuários, e alinhamento aos princípios de uma ocupação inteligente das cidades.

Os premiados na categoria empreendimentos foram:

 

Único Guarulhos, em Guarulhos-SP (residencial)
Cury Construtora e Incorporadora

 

Grand Lider Olympus, em Belo Horizonte (residencial)
Cyrela Brazil Realty

 

Patio Victor Malzoni, em São Paulo (comercial)
Brookfield Incorporações e Grupo Victor Malzoni

 

Porto Brasilis, no Rio de Janeiro (comercial)
Fibra Experts

 

Advance, em Brasília
JCGontijo Engenharia, ECAP Engenharia e Victória Empreendimentos e Participações (comercial)

 

Centro Empresarial José Alencar Gomes da Silva, em Brasília (comercial)
PaulO Octavio Investimentos Imobiliários

 

Cajamar Industrial Park, em Cajamar-SP (comercial)
Prologis-CCP e Libercon Engenharia

 

Edifício Galeria, no Rio de Janeiro (comercial)
Tishman Speyer


Os projetos e empreendimentos vencedores na categoria profissionais foram:

 

Ca''d''Oro São Paulo - O resgate de um ícone da cidade (marketing)
Brookfield Incorporações, Anastassiadis Conceitos e Publicidade Archote

 

Restauração da Casa Bandeirista do Itaim Bibi, em São Paulo (preservação do patrimônio)
Brookfield Incorporações e Grupo Victor Malzoni

 

Rochaverá Corporate Towers, em São Paulo (comercialização)
CBRE Consultoria do Brasil

 

Nova Petrolina - Inteligência imobiliária traz recorde de vendas. Projeto em Petrolina-PE (marketing e comercialização)
CIA Inteligência e Coordenação

 

Ecocil Ecogarden Ponta Negra, em Natal (marketing)
Ecocil Incorporações S/A

 

Helbor Concept - Life, Office e Corporate, em Mogi das Cruzes-SP (comercialização)
Helbor Empreendimentos e MPD Engenharia

 

Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2011 (institucional)
Lopes

 

Papéis da Vida - Prática de responsabilidade socioambiental na Reserva do Paiva, em Cabo de Santo Agostinho-PE (responsabilidade social)
Odebrecht Realizações Imobiliárias

 

Fonte: www.Estadao.com.br/Negocios

27/08/2012

Pátio Victor Malzoni: a poesia do tempo na Avenida Faria Lima

 

Nenhuma nação alcança o desenvolvimento sem valorizar a sua história e um dos mais belos exemplos deste “casamento” é o Pátio Victor Malzoni, localizado na avenida Faria Lima, em São Paulo. Sua arquitetura única o transforma em uma verdadeira janela no tempo, permitindo a vista da Casa Bandeirista, construída no século 17 e tombada pelo patrimônio histórico.
 
Neste espaço a antiga e a nova arquitetura interagem, gerando um diálogo sensível e que, para muitos, pareceria impossível ou quase surreal existir em uma das maiores metrópoles do mundo. Mas o que tornou essa poética possível? A resposta é a união perfeita entre a arquitetura e o que há de mais avançado em engenharia, que deu corpo ao edifício distribuindo seus 70 mil metros quadrados em três torres unidas pela maior laje construída no Brasil.
 
Esta conjuntura harmônica permitiu a existência do vão de 30 metros de altura por 44 de largura, que forma a moldura perfeita para um dos patrimônios históricos da cidade. O projeto foi da Botti Rubin Arquitetos, coordenado pela arquiteta Simoni Waldman Saidon.
 
Seis meses após a conclusão da obra, o empreendimento obteve a licença da Secretaria Municipal de Transportes, permitindo a obtenção do Habite-se e alvará de funcionamento. Assim, o Pátio Victor Malzoni logo ficará pleno de atividades com a instalação dos escritórios, adicionando ao espaço o que o torna realmente vivo: a presença humana.
 
Fonte: www.CBRE.com.br
Foto: CBRE
 
21/08/2012

Errata

Errata da revista AU (ago/12) sobre a ficha técnica do Pátio Malzoni.

20/08/2012

STJ - Superior Tribunal de Justiça acaba de prolatar decisão histórica para o Setor de Projetos de Arquitetura e Engenharia

Decidindo de maneira unanime recurso extraordinário da CPOS - Companhia Paulista de Obras e Serviços, o STJ acaba de decidir que o autor do projeto básico pode participar da licitação para elaboração do decorrente projeto executivo.

A lei de licitações (8.666) veda a participação do autor do projeto básico na licitação de obras e serviços, sem qualquer referencia as licitações de projeto executivo, que ainda pela legislação e boas praticas deve sempre preceder a licitação de obra.

Antes de uma boa obra deve sempre existir um bom projeto.